terça-feira, 30 de outubro de 2012

Hurricane


Toda a sua intensidade caiu sobre mim:
um massacre incessante...

Toda a sua magnitude desabou sobre minha vida:
não me foi possível fugir,
apesar de todos os avisos...

Você chegou pelo mar - 
em toda a sua plenitude...
Arrastou meus edifícios,
massacrou minhas avenidas...
Alagou-me.

Você chegou pelo ar -
em sua medida máxima...
Deixou-me sem forças,
sem energia.
Sem resistência alguma...

Após castigar-me com toda a sua força,
você não se despediu propriamente:
fulminou-me sem piedade.

E, então, destroçada e inerte, aguardo sua partida.
Com ela, todos os meus esforços novamente serão focados: 
tudo será reconstrução. 
E todas as coisas serão recolocadas em seus lugares:
como sempre estiveram...

Naiana Carapeba (30/10/2012)

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Eu deserto


Você irá me reconhecer?
Ao cruzar com meus olhos cegos,
minha face coberta de pó - 
restos de terremotos, escombros, que caíram sobre mim...

Você irá me buscar?
Ao perceber meus braços estendidos,
mumificados de tanta espera - 
rígidos, inertes e, agora, incapazes de o abraçar...

Eu fugirei.
Meu eu, deserto e insólito.
Meu eu, solidão e inóspito.

Eu deserto.

Naiana Carapeba (26/10/2012)

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Madrugada


Acordei e não o vi -
a luz, preguiçosa, não tinha ainda assumido sua plenitude rosa.
Esgueirava-se, precoce e tímida,
subindo por seu corpo deitado...

Acordei e não o tive -
seu cheiro, intenso e rude, penetrava fundo minhas narinas abertas.
Convidava, insistente e arrogante,
como cantiga, apoderando-se de minha consciência tardia...

Finalmente desperta, lancei-me às batalhas que o dia me entregou.
O desejo jogado num canto,
esquecido nas cobertas mornas,
na bagunça da madrugada que alvorecia, bem atrás de mim...

Naiana Carapeba (22/10/2012)

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Mudança


Abro suas portas, na expectativa que tragam novos sonhos.
Cada passo dado, exaustivamente pensado,
carrega imensas expectativas - toda a minha história...

Abro suas janelas, aguardando que desfraldem novos horizontes.
Cada esquina, escolhida minuciosamente,
traz consigo pequenos detalhes - que mudam completamente a imagem que se forma à minha frente...

Novidades, aventuras e paixões - 
venham e habitem minha nova morada.


Naiana Carapeba (18/10/2012)

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Poderia ter sido eu


Os olhos em volta, ziguezagueando,
a dar giros na própria órbita...
Os lábios umedecidos, pedintes,
a língua solta a falar...

"Poderia ter sido eu" - é tudo o que você pensa -
apropriando-se de meus sonhos, de minha vida.

"Poderia ter sido eu" - é tudo o que escapa de si -
como um sopro de ganância, a invadir meu espaço.

Suspiro, calada, abanando a cabeça -
tem dias que eu gostaria, realmente, que tivesse sido você...

Naiana Carapeba (17/10/2012)

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Sua presença


Não me adiantou ignorar sua presença,
girando sobre mim em círculos desconexos -
dia após dia, incessantemente...

Não me adiantou ignorar seus avisos,
cada dia mais frequentes e,
a cada vez, mais e mais incisivos...

Você chegou com o raiar do sol -
escancarou minha vida em janelas, 
arrancou definitivamente a putrefação que se escondia nos cantos de minha alma.

Renovação a afastar meus momentos funestos...
Morbidez sepultada por sua presença aterrorizante...

Naiana Carapeba (15/10/2012)

sábado, 13 de outubro de 2012

Meus caminhos


Em meus caminhos, continuo dançando solidão,
ao som de músicas surdas que embalam meu silêncio rude.

Em meus caminhos, continuo à procura de seu rastro,
ao sabor de ventanias agrestes que açoitam minhas tardes inglórias.

Não há mais brincadeiras.
Não há mais novidades.
Não há sorrisos.
Tudo está no seu devido lugar :
Sigo a trilha que me conduzirá à morte certa.

Em meus caminhos, continuo provando frustração,
à sorte de marés revoltas que nado em agonia salgada.

Em meus caminhos, continuo reprimindo aventuras,
ao estilo intransigente de quem não tem mais qualquer expectativa plausível.

Naiana Carapeba (13/10/2012)

sexta-feira, 12 de outubro de 2012

Amora


Acordei antes de acordes de passarinho.
Antes do dia desembalar o sol.
Acordei no embalo dessa canção que toca meu coração!
Bem-te-vi e sibilei ao ver-te ao lado meu, de fios dourados e nus.
Como tu e eu, cálidos!
Envoltos em meus lábios!
Sinto. Sei.
Tens gosto de fruta.
Amor, em mim moras.
Ponhas em mim teus pés de amoras!

(por Ritta Cidhreira)

terça-feira, 9 de outubro de 2012

Espera


Espero a sua chegada -
e me preparo para novos desafios.
Vivenciar doçura e rebeldia,
submissão e enfrentamento -
em ensinamentos recíprocos...

Espero a sua chegada -
e me preparo para novas experiências.
Rememorar saudades e entregas,
companheirismo e responsabilidades -
em contínuos ensinamentos recíprocos...

Quando você chega?

Naiana Carapeba (09/10/2012)

Os posts mais visitados